.

.

5 de mai de 2016

O nudismo e suas contradições

Adicionar legenda

Obviamente este texto está arquivado na categoria "Discuções manjadas."

Vou direto ao assunto:  acho que a prática do nudismo que uma tentativa de fazer crer que é possível apagar de vez o significado das coisas em nossa mente.  É querer "voltar" a um estado que jamais experimentamos, a um lugar onde jamais estivemos.  É como ver um filme erótico e dizer que está só querendo curtir a trilha sonora.

A postura da garota que tira a roupa em público é mais sincera. Ela sabe como as coisas funcionam e não esconde suas motivações. Está lá para ser desejada, excitar e se excitar também. Não de graça, claro. 

Os nudistas, me parece, são o contrário. Ficam brincando de índio como se nossa reação à nudez fosse a mesma. Acho uma coisa boba quando algumas pessoas volta de uma "seção de nudismo" se gabando de que olhou, olhou e não sentiu nada. E desde quando isso é um bom sinal ?!  Aos que se gabam de não serem afetados pela nudez tenho a dizer: se for verdade, meus pêsames. Se for mentira, meus pêsames também. Confessemos: ficar pelados, para nós, remete inexoravelmente a sexo. E se para você não funciona mais assim, procure um médico.

Nós já perdemos muito ao optarmos por nosso modelo de sociedade. Não precisamos perder também isso: o significado na nudez e as suas implicações.   Querem ficar igual aos índios? Acabem com os impostos que é mais negócio.

A tesão na nudez é  uma vantagem que levamos sobre os selvagens, as crianças e os velhos. Selvagens e crianças tem a vantagem de não poderem ser condenados por crimes. E os velhos furam todas as filas. E nenhum deles trabalha. Pelo menos os enfeites e climas do sexo nós temos. Não vamos abrir mão de tudo, pessoal!

A nudez como a vemos é uma imposição cultural?  Sim. E daí? 

Uma coisa que não entendo: eles dizem que só querem entrar em maior contato com a natureza. Mas ir à praia ou às montanhas ou à selva não basta? Não entendo por quê arriscar  as reentrâncias na areia poderia  deixar alguém "mais natural".   A menos que a pessoa esteja presa dentro de uma garrafa, ela estará de fato em contato com a natureza, mesmo de biquíni.

Entendam: meu discurso não é moralista, pelo contrário. Quero apenas incentivar as pessoas a serem sinceras consigo mesmas.  Vamos parar com  o faz-de-conta?

Veja só: se tudo é "normal" e se a intenção é se sentir como os bichinhos, por que os nudistas se sentem insultados quando um nudista tem ereção? Não é tudo natural?   Se eles fossem tão sem malícia assim veriam com naturalidade um marmanjo excitado perto dos seus filhos. Se para você esse lance incomoda, então pare de se fazer de inocente. Se tudo é natural, então tudo é natural. Se não é, então tire a máscara e assuma a sua sacanagenzinha.

O resumo é que eu acho que nudismo não passa de um surubão mental camuflado de naturalismo.  Entre nós ninguém tira a roupa na frente dos outros sem um propósito, claro ou dissimulado.

Fora toda essa discussão, o que não me sai da cabeça é o fator higiene.  Sinceramente eu não comeria um churrasco em um local de nudismo feito por um cara pelado, com o pinto quase encostado na mesa. Ou uma mulher, com aquele negócio rondando a farofa e a carne.

Você pode me chamar de maldosa. Pode ser, mas me assumo. Sugiro que você faça o mesmo.





Postar um comentário