.

.

25 de jan de 2009

Estranho, né? Adriane Galisteu


Digam o que disserem, ela tem lá as suas virtudes. Não se rendeu à febre do silicone e provou que é possível subir na vida amparada por apenas dois humildes limõezinhos. Sábia decisão, pois para ter silicone é necessário o mínimo de bunda e coxas, coisas que ela nasceu sem. Como Deus é justo, compensou-lhe com um nariz mais perceptível, digamos assim.

A única coisa estranha na "Dry" é essa cor, vocês não acham? Não é dela. Acho que ela usou o velho truque da vovó: generosas pinceladas de clara de ovo e alguns minutos dourando no forno. é tiro e queda. Esses dias fiz um empadão que ficou tipo assim.

A verdade é que ninguém nessa vida consegue sobreviver só com o que Deus lhe deu, é essa a minha tese de hoje. Adriane resistiu ao silicone mas sucumbiu à pele postiça. Não digo que esteja feio! Apenas artificial demais. Suas feições são de mulher branca: seus cabelos lisos e claros assim como os olhos e o nariz pontudo como o quê. Ou seja: trocou o seis pelo meia dúzia.

Legal criticar celebridades. Elas não podem se defender.
Postar um comentário