.

.

12 de jan de 2012

Não é bem assim - II

Vivem reclamando que a vida é curta. Não é bem assim. Como pode a vida ser curta se a velhice é longa?

Curta é a juventude. Em nossa existência vivemos mais tempo como velhos do que como jovens, e isso me parece muito injusto e assustador.  Há pessoas que conheço há decadas, desde pequena, e desde aquela época eu já as considerava velhas. Elas existem e resistem até hoje. Como aguentam?  Há uma galera que nunca vi com a cara lisa. Você não tem conhecidos que parecem já terem nascido velhos? Pois é. Depois que a juventude acaba, a droga da vida se estende, se espicha, se dilata, embroma...  e nada de acabar.
Embora meu querido Luis Fernando Veríssimo tenha dito que "A vida é curta; longa é a paixão", atrevo-me a afirmar que a vida não é curta; curta é a juventude. E a velhice que é miseravelmente longa.
Postar um comentário