.

.

23 de mai de 2012

Eu mesma

Acabei de criar uma dúvida desnecessária e esdrúxula, mas nem por isso menos instigante: como eu encararia uma réplica minha? Que tal dar de cara com várias Cristinas?

Eu seria a minha melhor amiga? De primeira a gente é tendente a acreditar que sim, mas... tenho minhas dúvidas. Sempre achei um saco pessoas com os mesmos defeitos meus. Não aguento, é monótono, previsível, desinteressante.

É deprimente concluir que eu não seria minha amiga. Tô magoada comigo mesma. Eu não toleraria a minha presença e só para não dar "oi" ou fingiria remexer a bolsa quando eu passasse por mim mesma em sentido contrário. E seria uma chatice imensa saber de antemão qual seria a minha reação. Claro que eu ia ficar chateada e iria decidir nunca mais cumprimentar a mim mesma, nem por decreto.

E que porre ir ao shopping comigo mesma! Ter que me aturar indecisa diante de uma vitrinhe, atormentada diante de 15 pares de sapatos, pedindo opinião dos outros só para ignorá-la em seguida.

Deus poupou a humanidade de muito sofrimento quando fez cada pessoa um ser único.Haveria muito mais guerras se houvessem réplicas.
Postar um comentário