.

.

5 de jul de 2012

Vazio

O vazio só é vazio mesmo, só tem direito de assim ser chamado, quando não se tem a mínima idéia do que poderiamos fazer para preenche-Lo. Porque quando sabemos o que nos falta, o que temos não é "um vazio", mas um "problema", "um plano" ou quem sabe "uma esperança".

Um vazio não é exatamente uma carência, mas é um nada que dói mais do que a carência em si. Carência é a doença diagnosticada. Vazio é aquela dor da qual os médicos afirmam:"você não tem nada!"  mas você sabe que tem.


Só os verdadeiros amigos levam a sério o seu vazio. Os outros apenas dirão, entre o riso e a acusação, que "na vida a coisa mais feia é gente que vive chorando de barriga cheia".


O vazio pode levar à depressão, mas ele não é a depressão. A depressão é cheia de fatos, dores e fantasmas; é esbarrar em tudo, é a dor da canela. Já o vazio é a casa vazia, é a agonia de sentir dor sem ter esbarrado em nada.

As vezes acho que a depressão é o vazio que perdeu a paciência de sofrer no escuro, aí começou a gritar.
Postar um comentário