.

.

26 de jul de 2015

Registre-se


Registre-se que sou contra:


1- CAIXAS DE CONCRETO - Existem restrições legais para abrirmos janelas nas laterais dos prédios (http://blogs.pini.com.br/posts/normas-tecnicas-pericias/[10]-janelas-e-as-restricoes-legais-de-recuos-em-vizinhanca-304621-1.aspx) Tudo bem, algum regulamento é necessário mesmo. Mas o absurdo é que num país quente como o nosso e em meio a uma crise de energia elétrica sejamos obrigados a nos trancafiar em cubos de cimentos sem ventilação. Até entendo que não seria legal abrir um janelão na cara do vizinho mas alguma concessão precisa ser feita. Por que não permitir basculantes laterais de ventilação desde que sejam a dois metros de altura a partir do piso? E que os vidros não sejam transparentes? Pronto! Ninguém vai passar o dia em cima de um banquinho só pra ver a cozinha do próximo. E mesmo que exista esse tipo de desocupado, nada impede que a outra pessoa tape a própria janela. Quem está incomodado sempre terá a chance de se esconder atrás de uma cortina ou muralha. Agora sacrificar a qualidade de vida em nome da privacidade é ignorância. Eu acho.

2- INDULTO DE NATAL -   1) Ou o cara é perigoso ou não é. Se não é, solta! Se é, deixa lá; 2)  No Natal comemora-se o nascimento de Jesus Cristo. Será que esses bandidos são cristãos assim tão devotos que não possam perder essas comemorações? Duvido;  3) Não acredito que a alegria dos bandidos seja mais relevante do que a segurança dos não-presos. Inadmissível que colocar a sociedade em risco seja um problema menor do que assassinos perderem a ceia de Natal.

3- DIREÇÃO E BEBIDA - Todo mundo sabe que ninguém sai por aí jogando o carro em cima dos outros por causa de duas latinhas de cerveja. Claro que sou contra liberar geral para os irresponsáveis cachaceiros,  mas todo exagero deve ser evitado! Vivemos hoje uma situação ridícula: um copo de cerveja na direção e posso ser presa. No entanto se eu cheirar umas carreiras de pó tudo bem, não serei molestada pela vigilância xiita. Deveria haver uma regra mais sensata para gerir a questão. Exemplo:  a pessoa só seria penalizada se estivesse trafegando alcoolizada a mais de 40 km por hora. Bebeu? Então trafegue pela direita no máximo a 40 km e com as luzes piscando. Passou disso o pau canta. Esqueceu de piscar as luzes? O pau canta também. Ninguém mata nem morre a essa velocidade, pelo amor de Deus!  Em caso de acidente ou danos ao patrimônio, aí sim a carteira seria cassada e a lei pesaria mais contra o cara. Acho que desse jeito a coisa seria muito mais justa do que como está atualmente. As blitz só parariam quem estivesse dirigindo perigosamente.


Postar um comentário