.

.

29 de jun de 2008

A mardita


É assim que alguns denominam a bebida, a cachaça: "a mardita". Acho que agora "a mardita" passou a ser a denominação da Lei 11.705, com a qual o governo resolveu encher mais um pouco o nosso saco.

" A nova Lei nº 11.705, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro, está provocando polêmica entre advogados e médicos. Ela é considerada rígida, coercitiva e até mesmo inconstitucional, pois transforma o ato de dirigir embriagado em crime..."

Li isso hoje. Não é novidade para ninguém. Na verdade o governo está praticamente proibindo o happy hour - e isso não está certo! Você acha que um grupo de colegas, no final do expediente, vai sentar em um bar para tomar suco de abacaxi enquanto afrouxa a gravata? Fala sério!

Você acha que essa mesma galera vai contratar um motorista só para esses momentos? Como se esses eventos pudessem ser sempre programados! Sabe como é, de repente bate aquele desejo meigo de ir para o bar para falar mal do chefe e rir de suas manias. E aí? Não pode mais?

Você acha que alguem desse grupo de amigos vai topar ir com os colegas pra ficar horas sentado bebendo só água para depois ter a indizível alegria de deixar os colegas em casa, um por um, e assim não infringir a lei? Isso existe? Em qual planeta?

De agora em diante só pode beber quem puder pagar taxi, motorista ou andar de bicicleta? O Lula tá doido?

Abaixo a selva no trânsito! Abaixo também a selva das leis! Motosserra nas duas.

"Oh sábia Cristina, então qual seria sua sugestão para esse assunto tão espinhoso?"

Eu preferia ficar calada mas já que você me perguntou, lá vai:

Acho que a pessoa deveria ser severamente punida se causasse danos à integridade física, à vida ou ao patrimônio de alguém. E só.

Trocando em miúdos: A pessoa deveria ser IMPEDIDA de dirigir alcoolizada, não teoricamente proibida. Repito: IMPEDIDA de fato, não proibida . São coisas diferentes.

Como assim?

A polícia deveria não só continuar, mas intensificar as blitz. Uma vez que o motorista tenha sido flagrado dirigindo sob efeito de álcool, ele deveria APENAS ser proibido de continuar dirigindo pelas próximas doze horas. Seu carro ficaria apreendido por doze horas e depois devolvido. Simples.

Poderiam também criar o DISK-DEDO DURO. Imagine alguém do próprio barzinho que ligasse para a polícia dizendo: "Alô autoridade! Tem uma cara que acabou de sair aqui do bar ... Ele está chumbado e deveria ser impedido de continuar dirigindo! Já está chamando Jesus de Genésio e até cantou a minha garota! Anotaí a placa do carro dele..."

Pronto! Uma vez anotada a entregação, o elemento seria abordado e teria seu "poder atropelandi" neutralizado por doze horas. Não basta? Pra que complicar?

Quanto ao motorista, suas opções seriam:

1- Ligar para alguém e pedir humildemente que viessem lhe buscar;
2- Chamar um taxi.
3- Ficar dormindo dentro de seu próprio veículo, esperando o tempo passar;
4- Ir para um hotel ou motel - sei lá, o freguês é quem escolhe. O importante é não permitir que ele dirija alcoolizado.

Em qualquer dos casos o tal motorista poderia reaver seu veículo horas depois.

Detalhe importante: nada de multas! A previsão desse tipo de multa não evita acidentes, só evita a multa em si.

$abe como é
O poder do "capilé"

É isso. Por favor, alguém encaminhe essa postagem ao Governo sob forma de "Sugestão de Proposta de Projeto de Reforma de Lei".

Assino embaixo.

Cristina Faraon
Postar um comentário