.

.

4 de ago de 2008

Por que não escrevo um romance

Minha personagem é muito indecisa. Não consegue resolver nem qual será a primeira coisa que fará quando levantar da cama com a cara quadriculada. Ela quer viver, quer demais, mas por isso mesmo, entre tantas opções, deixa-se estar por mais tempo na cama e não levanta. E as horas passam e retorna a noite. Desse jeito ela não está merecendo habitar nenhum livro.


Hoje o dia amanheceu com cara de fim-do-mundo, com cara assim de que se uma posição não for tomada agora, talvez não haja outra chance. Pensando nisso e vendo o cinza fatal pela janela, animou-se um pouco mais. "E se hoje fosse o fim? Nâo, hoje não, mas semana que vem? O que valeria a pena fazer, mesmo por mais louco que fosse?"

Nada! é a resposta. Se vai acabar, nada mais importa. E pensando bem, se de qualquer forma, faça o que eu fizer o mundo vai continuar, importa menos ainda... (Continue lendo)


Postar um comentário