.

.

18 de dez de 2008

A Natura e seus mistérios


Estive lendo dia desses um folheto da Natura. Na descrição dos batons, além dos cremosos e dos de efeito aveludado (que prefiro mil vezes) podemos encontrar, caras amigas, os cintilantes, os extrabrilho e até - vejam vocês! - os magníficos "brilho extracintilante". Que coisa! Fiquei deveras impressionada. E confusa.
Adoro imaginar o que leio e minha mente como que travou quando não consegui visualizar nada descrito assim pelo folheto que pudesse ser usado fora de um circo.

Alguém aí pode me explicar qual a diferença entre um batom cintilante, um extrabrilho (que teoricamente deveria cintilar) e o tal super-hiper "brilho extracintilante"? Por precaução acho que deveriam colocar um rótulo com o clássico aviso "mantenha fora do alcance das crianças" porque é possível que o troço dê choque.

Seria seguro usa-lo na chuva? E com o secador de cabelos ligado haveria problema?

Se o tal batom tem mesmo as propriedades que o nome sugere, deveria ser usado com grande proveito pelos guardas de trânsito durante a noite.

Lembrando de minhas amigas, não me vem à lembrança nenhuma que tenha surgido alguma vez na minha frente com uma boca assim tão "translumbrante". Hmmm... Acho que não vou comprar não. Talvez não seja elegante sair assim, fosforecendo pelo mundo.
Entre um bico seco e um bico espantoso, fico com a primeira opção.
Cristina Faraon
Postar um comentário