.

.

1 de mar de 2012

Incompatibilidades

Minha mente pode ser estranha, meus raciocínios podem ser tortuosos ou equivocados, só que isso não é motivo para ocultá-los. Muito pelo contrário: expor idéias é mais ou menos como propôr aos desocupados aquele joguinho dos sete erros. A gente mostra a idéia e quem tiver perspicácia que aponte as falhas.

Muitas afirmativas nossas, se formos analisar, são incompatíveis umas com as outras. Somos tententes à contradição. Contradição não é uma fatalidade do destino humano. Geralmente contradição nada mais é do que preguiça de pensar. Daí a necessidade da filosofia. A filisofia serve para uma coisa absolutamente necessária: ela nos ensina a seguir uma linha de raciocínio. Ela nos ensina a pensar direito, a analisarmos corretamente uma questão. "Nunca na história desse país" a filosofia foi tão necessária. Deveria ser ensinada nas escolas desde o ensino fundamental. Não a filosofia decoreba do tipo "quem disse isso? Em que ano?" mas a arte de pensar.

Tudo isso para contar a vocês que eu assisti a entrega do Oscar. Bla bla blás àparte, uma das amenidades que me chamou a atenção foi a extrema magreza da Angelina Jolie. Para mim ela estava feia, feia demais. Magra ao extremo, osso puro. Até dos famosos beições roubaram metade do enchimento. Se ela estivesse com um shortinho surrado, camiseta rasgada, sem maquiagem e chinelinho de dedo, seria internada. Mas não, ela envergava um magnífico vestido de veludo! E se atreveu a tentar ser sexy mostrando o que outrora fora uma coxa. 

Cabeça e vestido.

Aí é que entra a incompatibilidade: não aceito que alguém chame a Angelina de gostosa e depois chame a Beyonce de gostosa. Não dá. Uma é o oposto da outra. Até admito dizer que ela tenha um rosto bonito (vá lá) mas não dá pra dizer que ela, no todo é bonita. Ou dá pra dizer, mas isso desdiz quem é o oposto dela.

Há outras idéias que eu acho incompatíveis. Tem um monte de gente que se diz católica e espírita ao mesmo tempo. Cara, não dá. No catolicismo se prega que Jesus é Deus encarnado - o espiritismo diz que Jesus foi uma pessoa maravilhosa, iluminada, muito boa, mas não é Deus encarnado coisíssima nenhuma. Se Jesus é Deus, então Maria é "mãe de Deus" para o católico. Se ele não é Deus, então Maria não é nada além de mãe de um cara legal. Não é santa. Santa por quê, se Jesus não é Deus? E por aí vai. Nem tô aqui para dizer quem está certo. O que eu digo é o seguinte: duas verdades opostas não coexistem. Ou é uma coisa, ou outra.

Não dá pra ser ateu e crente ao mesmo tempo. Ou dá: se o sujeito for doido. Doido com um "famoso escritor que esqueci o nome". Ele dizia que era ateu, mas morria de medo de ir para o Inferno quando morresse. Dá pra entender?

Postar um comentário