.

.

1 de mar de 2012

Propaganda enganosa

Falam mal das vidas mornas que se conformam apertadinhas em seu mundinho acanhado. Falam mal das pessoas invisíveis, que não aparecem nem atrapalham. Todos pretendem um mundo vasto e colorido, cheio de suspresas e sustos e quinquilharias inúteis que compramos e jogamos fora. Todos falam mal de pessoas e de situações que apenas fazem a alma silenciar.

Estou começando a achar que quem reclama dos chatos, chato é. E que os chatos e suas vidas certinhas são tudo o que os invejosos mais atacam. Estou começando a achar que toda vontade de chocar é babaca, que toda vontade de abalar é fraqueza. Os mais indômitos continuam rijos em suas torres  discretas.

A gente pensa que precisa, mas ninguém precisa de vendavais. Não precisa. Basta por um dia encarar a realidade, mudar o que dá e engolir o que precisa. Basta virar as costas para a propaganda enganosa que é a vida dos outros. Se entendermos que tudo é de mentirinha, bendiremos mil vezes o que temos hoje. Pode ser triste às vezes, mas há um conforto seguro na falta que as pessoas fazem.

Escrever faz bem e eu vou pouco a pouco me libertando dos pudores idiotas de quem pensa que está sendo seguido. Não estou. Por mais que você esteja ao meu lado, por dentro tenho um universo solitário e sem ecos, e na verdade é lá que eu moro. O que você vê de mim é só o meu rosto na janela. Moro sozinha e estou progredindo muito em aprender que é assim, é normal e não tem jeito.
Postar um comentário