.

.

18 de abr de 2012

Coroação



Essa gravura é incômoda. Ela se parece demais com a interpretação do sonho feminino. Não importa o que se tenha conquistado na vida: só um homem coroa uma mulher.

Isso não é um discurso reacionário. Não é um discurso de coisa alguma. É apenas a constatação de um tabu: algo que se odeia mencionar, que se detesta admitir.

Certa vez, conversando sobre casamento, alguém comentou que é importante para a mulher "ostentar" um homem por causa da "respeitabilidade social" que isso representa. Ele pode até não ser grandes coisas, mas ela será sempre vista de outra forma se tiver um homem. Uma mulher sem homem é algo como alguém sem casaco no frio.

Eu mesma já soube de uma mulher nova e linda que estava separada de seu marido. Ao receber a proposta de divórcio ela concordou, mas lamentava ter que dizer, de agora em diante, que não era casada. Ela tinha orgulho de ser casada, mesmo que não tivesse mais uma vida a dois. Sentia-se mais respeitada, distinta, especial. Era triste ter que confessar, a cada formulário, que não tinha um homem.

Já ouvi, com tristeza, mulheres dizendo que gostariam de casar nem que fosse para divorciar no mês seguinte, só para perderem o rótulo de "solteiras".  "Divorciada" era muito mais aceitável, pois significava que em algum momento do passado elas foram vistas como respeitáveis o suficiente para se tornarem "esposas".  Seria algo como um selo de qualidade.

Não sei exatamente se ver os homens como troféus os diminui como seres humanos ou se os eleva acima das mulheres. Não não cheguei a uma conclusão. Só sei que  essa visão é a negação da igualdade partindo justamente daquelas que clamam por igualdade. Querem "igualdade" mas não se sentem iguais, pois ainda precisam ser "coroadas" por um homem enquanto eles podem seguir em frente prescindindo de qualquer expressão de valorização desse nível.  Eles parecem absolutamente alheios  a essas  picuinhas. Tendo sido atendidos em seus desejos básicos, pouco lhes importa como a mulher lhes considere. A mente masculina está sempre em outro lugar. Eles na verdade não estão nem aí.

Nós e nosso mundinho de disputas pequenas...

Haverá algum dia no qual a mulher não esperará mais para ser "coroada" (valorizada, glorificada) por um homem?  Haverá um momento no qual o homem não será mais um troféu a ser suportado?

A mulher que não busca troféu, essa sim conquistou a igualdade. As que precisam ser "honradas" por alguma atitude masculina ainda estão longe disso.

Postar um comentário