.

.

20 de abr de 2012

Tirinhas




Nunca produzi uma tirinha sequer em minha vida.
Tirinhas parecem simples, mas não são. Há genialidade nas tirinhas, naquele minimalismo, nos poucos segundos que nos fazem rir ou refletir por muito tempo. Nas tirinhas vemos nossa vida ser resumida e explicada por personagens com carinha ingênua mas que têm uma perspicácia desconcertante. Elas nos mostram o quanto podemos ser tolos. Elas nos chamam de tolos mas a gente acaba rindo. Isso é arte.
Quem faz é gênio. Como eu nunca fiz, não sou um gênio. Mozart com certeza faria tirinhas se soubesse o que é isso. Outras pessoas brilhantes com certeza também fariam se tivessem chance. Eu tenho chance, toda a chance do mundo. E nada. Sequer tentei. Para quê? Sei que não sou brilhante mas também não preciso conhecer a medida exata da minha opacidade.
Postar um comentário