.

.

15 de mar de 2014

Entre chips e bactérias


"Google usa estudo de rastreamento do olhar para entender usuários;

Webdesigers usam equipamentos para o rastreamento do olhar dos internautas para entender como os visitantes interagem com seus sites... os resultados geralmente são confidenciais... Acredite: o vídeo aponta o direcionamento dos olhos em tempo real, mostrando que os humanos são capazes de rastrear informações em alta velocidade - talvez maior do que eles próprios imaginem."


Desculpem-me o trocadinho, mas não vejo isso com bons olhos. Pensei que essa coisa de vigiarem a gente ou de socarem coisas por nossa mente adentro tivesse seu auge na mensagem subliminar e chega. Mas não. Agora estão querendo ler meu cérebro. 

Claro, claro, vocês haverão de me dizer que isso são só estudos, nada em larga escala. E quem me garante? Sabe Deus há quanto tempo somos tratados como ratinhos brancos. Ninguém esquece os filmes de ficção que já assistiu. Pior: ninguém esquece os filmes ANTIGOS de ficção que já viraram realidade debaixo dos nossos narizes. É só dar uma olhada nas produções de uns 40 anos atrás e comprovar.  Não dá pra ficar muito tranquila sabendo disso. Tudo o que envolve dinheiro pode transformar o mais angelical cientista em um açougueiro sangrento.

Sabe lá quanta gente já não foi clonada por aí sem ninguém saber. Quantos monstrinhos nasceram e foram descartados.Você, de hoje pra amanhã, pode se apaixonar por um "coiso" enlatado pensando que é gente..

Já estou vendo os computadores engravidados de câmeras suspeitas, chips minúsculos "de brinde", todo tipo de presente de grego. Pense bem: por quê pagar por um espião que pode se vender para o outro lado se um pequeno aparelho pode coletar dados com muito mais segurança e discrição?

É por essas e por outras que sou uma dessas pessoas que temem colocar na testa um aviso de "doadora de órgãos" embora a causa seja justa. Uma vez assinados os papéis, na semana seguinte posso sumir de circulação para prolongar a vida de algum ricaço. Deixo de ser gente, passo a ser um rim.  Ou entro no hospital com dor de cabeça e saio direto para o cemitério contaminada por uma conveniente "bactéria"... que precisou de meus rins, fígado, coração, córneas.

Não pense que isso não tem a ver com o que comecei a falar. Tem sim e o resumo é um só: ninguém está seguro. 
Postar um comentário