.

.

18 de ago de 2014

Violência! Violência!

Acho curioso como a violência pode ser uma coisa assustadora e ao mesmo tempo tão sedutora. Ela atrai e repele - confesse!  O tempo todo ela e se apresenta para nós; ora como problema, ora como solução.

Violência vende e rende. Gostamos de pessoas fortes, de  filmes com socos, tiros, sangue e lutas. Desde cedo achamos divertido brincar de subjugar.

Observando todo o poder de intimidação que os violentos exercem, isomos levados a concluir que a arma que usam é eficaz mesmo!  Daí somos seduzidos e em um pulo o que é assustador passa a ser desejavel. 

A violência nos deixa acuados. Como  estar acuado é ruim, parece-nos que o remédio para isso é acuar.  Somos tentados a aderir ao inimigo como forma de nos proteger dele. Sentir medo é um fardo muito pesado. 

Parece existir uma crença não confessada de que só a violência nos alivia da escravidão do medo. Mas assim como para me proteger  do medo eu preciso causar medo, devo lembrar que para os outros o remédio também é válido: se tiverem medo também precisarao me intimidar para se protegerem. Dai ninguém estará em paz. Isso é uma desgraça.

Quanto mais amedrontados, maior nossa necessidade de intimidar. É mais ou menos como aderir à máfia por ter medo dela.  A violência é uma espécie de remédio proibido e certamente uma grande mentira. Por algum tempo  parece que nos cura da humilhação do medo, por isso se torna diabolicamente atraente. Isso fará com que cada dia mais pessoas precisem recorrer a ela para se protegerem dela.

Hoje assisti um filme violento. Observei no cinema que as pessoas sentiam um estranho prazer com  as cenas sangrentas. Essas mesmas pessoas sentem prazer quando um lutador tira sangue do seu oponente. Por que acalentam essa coisa mórbida? Porque, mesmo sem saberem, estão sonhando com outra coisa. Quem curte a estética da violência está  na verdade se colocando no lugar do agressor para ter fantasias nas quais nunca mais sentirão medo porque são fortes e podem intimidar. Estão sonhando em nunca mais se sentirem como ratos.  Curtir cenas de soco é fantasiar com o PODER.

Por isso a violência tem se tornado tão atraente: porque se apresenta como a única libertação. E quem não quer ser livre?

Isso é realmente muito triste...







Postar um comentário