.

.

8 de abr de 2007

Momento de sinceridade

Cheguei ainda agora de Salinas mas no momento não vou falar só de Salinópolis. Vamos colocar no geral, certo?
Pergunto: qual o melhor momento de um dia na praia? O que nos faz sair do aconchego dos nossos lares para nos dirigirmos a um balneário qualquer, gastarmos tempo, dinheiro e voltarmos pra casa cansados e ardidos? Por que fazemos isso conosco mesmos?

Pra passear? Pra ficarmos bronzeados? Pra sermos descobertos por algum caça-talentos? Pra comer tapioquinha? Pra encontrar os amigos? Pra nadar? Sei não...

Pra mim - descobri esses dias - o melhor de ir para a praia é voltar de lá. Gente, é ótimo!
Pense: você toda melada de protetor solar e areia, tipo um bife à milanesa. A mesa da barraquinha cheia de cabeças de camarão, copos grudentos, óculos dedados, moscas, roupas úmidas, areia, pacote aberto de biscoito chocho. Seu cabelo está um grude, sua cara está um pão doce de tão brilhosa, sua barriga já tufou faz tempo. Suas costas estão vermelhas e sua bunda continua amarela. E você já cumpriu com seu dever cívico de dar pelo menos um mergulho. Pronto. O que mais você quer na vida? O que?
Eu digo o quê: chegar em casa (ou no apartamento, ou na tapera, ou no hotel) tomar um super banho com um sabonete sem areia, perfumar-se, colocar uma roupa cheirosinha e pronto. Noooosa! É quase um orgasmo.
Sol? Praia? Nem pensar!

MOMENTO DE SINCERIDADE: Lembre do momento em que você chegou NA praia. Legal, né? O dia ensolarado, céu azul, vento... Agora lembre do momento em que, uma vez tendo retornado DA praia, você tomou seu ultra-banho e saiu reluzente do banheiro. Diga a verdade: em qual dos dois episódios você sentiu mais prazer?
Postar um comentário