.

.

26 de mai de 2007

As despetaladas

Conhece essa atriz? Repare com cuidado.
Este rosto pelo menos lhe parece familiar?

Trata-se de uma atriz famozézima. Uma ex-gostosa. Você assistiu novelas e filmes estrelados por ela. Você a invejava. Ela era linda, roliça. Tinha coxas grossas que configurava crime serem escondidas em calças compridas. Ela era obrigada por questões morais a usar mini saia. Era rosada e seu sorriso mostrava saúde, vitalidade e muito gás a ser gasto com amor, amor, amor. Era uma garota completamente abraçável, apalpável, apertável e fungável. O problema é que ficou famosa demais e o que se seguiu a isso foi a pressão para jogar as carnes fora. Pois é, a iludida aí trocou a beleza real pela beleza virtual, que só convence em fotos, com muita maquiagem e, de preferência, embrulhada em alta costura.

Eu, hein!

Diversas vezes me surpreendi ao rever atrizes ex-gostosas. Mulheres lindas que viraram esqueleto, envelheceram uns 8 anos, trocaram coxas por cambitos e hoje ainda conseguem sorrir confiantes. Estranho, estranho mesmo! Quando vejo essas mulheres sempre exclamo "-Por que será que ela fez isso consigo mesma? Que lástima! Ela era tão linda!"

Lembra como antigamente a Fernanda Torres era um amor em sua beleza roliça e branca? Um anjo barroco! Ela não era gorda, apenas tinha carne. Que mal havia nisso?

Outra que se detonou e envelheceu uns 10 anos rapidinho foi a Cássia Kiss. Era tão bonita! Mas emagreceu impiedosamente. Dá até agonia de olhar.

Quer mais um exemplo de mulher que estava incomodada com a própria beleza? A Débora Secco. Virou palito. Um palito bem produzido, claro. Mas palito.

Sobre a Giselle... não sei se algum dia já teve bunda, coxas e cintura. Acho que nasceu assim mesmo: rosto e cabelo. Tudo bem, não tem culpa. Mostrou-se até inteligente por ter conseguido tirar proveito da própria carência.

Agora me digam: o que esse povo da moda tem contra as coxas? Principalmente aquele par que transborda em quadris redondos, dançantes e apetitosos? Vai dizer que é feio?

Vou pedir uma coisa: nunca mais elogie uma mulher bonita. Cale-se. Finja que não viu. Elogio hoje em dia funciona como maldição: no mês seguinte a sua deusa pode ter sido transformada em escombro de ossos sorridentes. E o pior: a culpa vai ser sua!

Sendo assim, manifesto aqui meu sincero pesar por todas as antigas flores que se livraram das pétalas e hoje sobrevivem como caules.




Postar um comentário