.

.

21 de out de 2008

O esconderijo da felicidade

Eu mesma já repeti, em tom empolado, que "a felicidade está dentro de cada um de nós". Não vou desdizer; vou apenas implicar com isso porque hoje estou com a macaca.

Se alguém viesse hoje me dizer que a felicidade está dentro de mim eu mandaria essa pessoa catar coquinho - no mínimo.

Hoje, em um lampejo, descobri que não há nada mais cruel do que esse lance. Não haveria outro lugar mais facinho para a Felicidade se esconder não? Que saco! Dizer que ela está dentro de mim é o mesmo que ir ao médico doido de dor e ele dizer na sua cara que você não tem nada. Fica tudo na mesma exceto por um novo fato: agora você odeia os médicos.

Se a felicidade estivesse em alguma caverna, hordas de pessoas esperançosas fariam expedições. Muitas morreriam no caminho. Poucas encontrariam. Outras ainda - talvez a maioria - jamais conseguiria juntar dinheiro suficiente para sair por aí procurando a felicidade mas isso não seria assim tão ruim.

Por exemplo: não jogo na loteria mas adoro pensar que um dia pode me dar um estalo (ou algo mais glamouroso) na minha cabeça e de repente eu entrar em uma casa lotérica, apostar uns trocados e "bamburrar". Sabe, é reconfortante pensar nisso. Claro que a felicidade em potencial é uma felicidade de "um e noventa e nove" mas é melhor do que nada! Por outro lado, se proibissem as apostas para sempre eu ficaria revoltada, triste, com um pesado sentimento de perda. Não jogo mas adoro pensar que posso ficar rica, que a porta está aberta, basta economizar o dinheiro do sorvete.

Dizer que a felicidade está dentro de nós é mais ou menos como alguém dizer que você é feliz sim! "Procure dentro de si!" Ah, vai tomar no banho!

Se ela estivesse no fundo do mar, no alto da montanha, no colchão do último imperador da China, debaixo da mesquita, no turbante do Aiatolá... aí eu poderia dizer para mim mesma: não vou lá porque não tô a fim hoje mas se for, posso vir a ser a criatura mais venturosa do mundo. Ah... um dia eu me decido, podem anotar.

Mas não! Localizaram a Ventura Infinda dentro de mim. Cara, você tem idéia da bagunça que é aqui por dentro? Esconder a felicidade dentro de mim é como fazer um concurso com o intuito único de não deixar ninguém ser aprovado.

Dentro de mim tem selva, mar, caverna, luz, escuridão, almofadas velhas... Se duvidar tem até turbante de aiatolá. E peixe frito. Não duvide não. E plantação de manjericão com anjos jardineiros tocando harpa. É por aí.

Faz o seguinte: quando eu estiver de mal humor (como hoje) diga que a felicidade está no Céu com os anjinhos... Ou diga que ela não existe. Isso! Fica melhor. Mas não se atreva a afirmar que ela está dentro de mim que aí eu não respondo pelos meus atos.

Cristina Faraon
Postar um comentário