.

.

13 de dez de 2011

Twitar e feicebokear

Resumir tudo a duas frases: isso é arte ou a absoluta ausência dela? Lembram daqueles textos longos, aqueles extensos arrazoados que laçavam nossa mente e nos forçavam a ver o ponto de vista do escritor? Aquilo era uma arte ou a ausência dela?

Certa vez ouvi que quanto mais simples a invenção, tanto mais genial ela deveria ser considerada. Verdade. Nenhum aparelho complicado supera aquele cuja eficiência se irmana à simplicidade. Sempre poderemos complicar um invento mas nem sempre conseguiremos simplifica-lo. Complicar é fácil, qualquer mente obtusa consegue. Observem a carreira tortuosa dos burocratas! Mas simplificar exige uma certa genialidade. Se não houver outra forma de tornar uma coisa mais simples, isso é sinal de que essa coisa já é perfeita.

Ouvi dizer que, dentro dessa idéia, poucas coisas são mais geniais do que a bicicleta. Concordo. Impossível simplificar uma bicicleta. Podemos complicá-la, encarece-la, adicionar-lhe motor, luz piscante, pneus de silicone auto infláveis, selins refrigerados...  mas como tornar mais genial ainda um meio de transporte que se  locomove às custas da energia do próprio passageiro? Ocupa espaço mínimo, é leve, barata e ainda funciona como uma academia ambulante!   Não dá pra superar isso.

Outra coisa que não pode ser mais simples nem mais eficiente: o sino. Você pode colocar-lhe um timer, pode automatizá-lo, fazê-lo fosforecer no escuro ou badalar ao som do último hit da Beyoncé, mas se tirar isso tudo ele ainda conseguirá cumprir sua missão que é badalar anunciando alguma coisa por um raio de dois quilômetros mais ou menos e a custo zero. Penso em uma sino e não consigo, de forma alguma, torná-lo mais simples. Espero que seu inventor tenha ficado rico.

E os óculos? Lentes de contato não são simplificação, vou logo avisando. Lente de contato já é uma sofisticação cara e um tanto arriscada, pois utiliza seus olhos em substituição à armação. É como forçar uma menina de três anos a andar com salto agulha.  Ou como ser forçada a conviver com um absorvente de madeira. O fato é que os geniais óculos existem há séculos e não mudaram muito desde os primeiros modelos.

Isso tudo é para convencer a mim mesma de que não emburrecemos como sociedade. Isso tudo é pra dizer que talvez a geração "meia-frase" seja mais esperta do que aquela que precisava de cinco parágrafos para dizer alguma coisa. Podem reparar que no Twitter, em poucas frases você já é capaz de perceber toda a profundidade da estupidez de algumas pessoas. É rapidinho, basta uma olhadela. Também numa tacada podemos topar com mentes brilhantes. Siga o Millôr.  O Twitter é o "noves fora" das letras pois não precisa de uma banca de avaliação pra mostrar quem é quem.

No final das contas percebo que precisei de cinco parágrafos para transmitir meu pensamento. Isso é frustrante. Qualquer pagodeiro evoluído diria isso tudo em duas linhas.
Postar um comentário