.

.

16 de mai de 2012

Bichos chatos


Não requer preâmbulos:

1 - Cachorro: é carente demais para o meu gosto. Vive exigindo atenção, é pegajoso. Se fosse homem iria querer telefonar toda hora e discutir a relação um dia sim e outro também. Além do mais, cachorro é babão; está sempre com a língua pra fora e com o focinho melado ameaçando melecar a gente.

2- Galo. É um porre. Vive fazendo barulho na hora que a gente quer dormir.  O desgraçado parece que tem uma caixa de som colada nas costas: canta no norte e a gente ouve desde o sul. Não sei qual prazer pode existir naquele có-có-ró-có irritante e sem objetivo. Eles me lembram os comentaristas esportivos... só que os comentaristas eu posso "desligar" e o galo não.

3- Passarinho na gaiola: outra inutilidade. Você não pode pegar, brincar com eles, carregar no colo ou ensinar truques. Para piorar eles só sabem cantar canções de fossa. Atrás das grades toda música é depressiva.  Aqueles trinados tristonhos falando do quanto a vida é cruel atrás das grades... credo!  Quer saber? A vida já é complicada demais para eu ter que ainda acordar e dar de cara todos os dias com um prisioneiro infeliz dentro da minha casa.

4- Peixes: eu até que gosto deles mas detesto a viadagem de não se deixarem tocar. Eles vivem fugindo da gente, são assustados. Não pode pegar se não enfaaaarta! Vá tomar banho!

5- Simpatizo também com gatos mas eles gostam de se fazer de surdos e isso me irrita.

6- Macacos:   eles são o contrário do conceito de "colírio para os olhos". Os bichos são feios de doer. Acho emocionalmente desconfortável olhar seres tão horrosoros, caricatos e ainda por cima metidos a engraçadinhos. E ainda tem aqueles braços compriiidos,  os trejeitos deselegantes, o ar preguiçoso, pernas abertas, cara debochada, aspecto sujo.  Os macacos estão sempre tentando nos imitar só pelo prazer de nos meter em ridículo. Pra completar a desgraça eles têm um cheiro horrível.

7- Cobras: preguiçosas, melequentas e estressadinhas. Ficam lá com aquela pele babada só imaginando o mal. Olham para os lados e só enxergam inimigos. O dia está lindo, está tudo bem mas do nada elas resolvem se sentir ameaçadas. Têm mania de perseguição.  E se não for pra fazer o mal nem saem do lugar; preferem ficar emboladas umas nas outras com aquelas caras antipáticas.

8- Periquitos: são umas catracas barulhentas de olhinhos arregalados. Não passam de britadeiras verdes. Quero distância.

9- Tartarugas tem cara de velhinha carola. Pode reparar. Mas isso não é problema. O problema é que tenho agonia de olhar as tartarugas.  Imagine passar a vida como recheio de biscoito!  Coitadas, como elas entraram ali? Deve fazer um calor horrível dentro daquele biscoitão de madeira!  E deve doer o pescoço! E elas não podem coçar o pé, meu Deus! Um dia tentei sair de dentro de um vestido apertado com o fecho engatado e quase tenho uma crise nervosa. Não gosto de lembrar. Evito tartarugas.

10- Urubus: também são fedorentos e isso é muito mal. Mas pior é a indiferença deles para com as vicissitudes alheias. Eles nem contemplam a carniça, algo como um minuto de reflexão e tal, pelo defunto. Nenhum comentário sobre o fatídico, tipo "coitado do cara... levou o farelo."  Que nada! Eles apenas chegam calados e insensíveis com aqueles ternos surrados.  E ainda tem aquele ar blasé de quem já viu tudo na vida.  Todos os urubus do mundo nascem velhos e desiludidos. Não confio em urubus.

11- Lagartixas. Estão sempre com cara triste - um nojo - e nos manipulam com chantagem emocional. A gente quer dar uma chinelada e matar mas não consegue. Elas nos fitam com aqueles olhinhos pretos e tristes de quem diz  "Você vai me matar? Mas que mal eu te fiz? Estou quietinha aqui na parede! Não acredito que você seja tão desumano! Não tenho pai nem mãe nem filhos, estou sempre sozinha, tudo o que eu tenho é a minha vida e você ainda quer me tirar isso?"  Elas devem ter aprendido isso em algum manual barato de psicologia de sobrevivência.

12- Corujas: não são más, mas ... são estranhas.  Desconfortavelmente estranhas.  Elas são neuróticas, se impressionam com tudo! Ninguém pode dizer nada pra elas que elas arregalam os olhos e ficam pensativas num canto. Alimentam pensamentos tenebrosos e pessimistas o tempo inteiro. Não se divertem. Não passam de pen drives emplumados lotados de filmes de terror de quinta categoria.  E o pior é que quando a gente passa elas tentam fazer a gente entrar na neura delas - pode reparar!  Metem-nos aquele olhar fixo, impressionado, cheio de maus agouros com cara de Sexta Feira 13.   Coruja é pra quem está de bem com a vida. Se você anda deprê, fuja delas!
Postar um comentário