.

.

1 de mai de 2012

Vida

A vida pode ser cheia de surpresas, mas sou mais cheia de surpresas do que a vida.
Nunca sei como vou acordar amanhã. Não dou garantia de nada, principalmente depois de ouvir uma música fatal. Felicidade e infelicidade são termos tão fluidos que nem podem ser levados a sério.  Eu mudo, muito muito, e daqui a umas doze horas posso estar amando - ou desistindo para sempre do amor. Posso pular de amante para avó, de deprimida para iluminada. Por essas e por outras a minha convivência comigo mesma é estimulante.
Eu não me repito.
Postar um comentário