.

.

31 de ago de 2012

Convivendo com as feras

As bichos são maravilhosos. Mas para você admirá-los, curti-los e se envolver com eles não é necessário que eles sejam "bonzinhos". Você não precisa confiar porque confiar, frequentemente, é desconhecer a natureza de. Ainda que sejam "domesticados" a natureza de cada um sempre fala mais alto. Se mantivermos sempre "um pé atrás" será melhor para eles e para nós.

Jamais deixe de levar em conta a NATUREZA de cada ser. Os mais ferozes tem seu encanto e você pode amá-los e admirá-los desde que não esqueça quem eles são e do que são capazes. Seu amor não transforma bicho algum em outra coisa.Cada um será sempre o que é.

Não, não me tornei fã de bichinhos. Estou escrevendo isso para atapetar a passarela de outro assunto.

Quero dizer que da mesma forma são as pessoas. Os humanos são seres maravilhosos e instigantes. A convivência com os humanos será muito mais positiva se levarmos em conta as suas limitações e seu potencial para ferir. Total confiança é uma forma de burrice.  Para ter amigos não é necessário acreditar que são anjos. Aliás, para ter amigos é absolutamente necessário entender que eles não são anjos. Posso ser fã de uma onça mesmo sabendo que ela tem aquelas garras terríveis.  Por que não nos treinamos para olhar nossos semelhantes da mesma forma? Porque essa insistência em entrar nesse ciclo de confiar, se ferir e depois ficar "desiludido"?

Tendo isso em mente, sem  sentimentalismo besta e nem confiança doentia, nosso relacionamento social tem tudo para ser enriquecedor. Cada um é o que é. Podemos compor sinfonias e podemos esquartejar. Ninguém entra numa jaula quando o leão está com fome. Respeitemos a natureza de cada ser e curtamos as curiosidades de todos eles.
Postar um comentário