.

.

3 de set de 2012

As super pernas



Não sei se você vai considerar estranho o que vou dizer mas lá vai: acho essas próteses de pernas, utilizadas pelos atletas paraolímpicos, um barato.  

São leves e fortes e, embora não tenham sido criadas com essa finalidade, dão ao sujeito um "ar de poder", um "plus" muito bem-vindo para quem perdeu as pernas humanas. 

Embora o aspecto de quem não tem pernas seja o de fragilidade, essas próteses conseguiram realmente mudar isso!  A pessoa "pula"  rapidinho (desculpem o trocadilho)  do visual frágil para o futurista, do limitado para o "posso mais".  

Minha opinião é que, mesmo esteticamente, essas próteses são melhores do que as que imitam pernas humanas.  Claro que depois fui descobrir, desapontada, que as prótes-imitação não foram realmente abandonadas. Os atletas usam-nas no dia-a-dia e deixam as "super-pernas" reservadas para a prática de esporte. Uma pena. Porque as super-pernas são muito mais cheias de personalidade. Pode parecer infantil de minha parte mas pra mim é como se dissessem: "tudo bem, perdi as pernas, mas com essas que agora tenho ganhei superpoderes.  Adquiri velocidade,  mobilidade e canso menos do que você; virei um primo distante do Robocop.  Então tudo bem se quiser ficar olhando."  

Para mim eles lembram sim os heróis cibernéticos - e quem não simpatiza, de pronto, com os heróis?  É um lance subjetivo e irrefreável. Todos gostamos de quem pode mais - ainda que não possa.  

Ao invés de parecerem "sem pernas" ele acabam parecendo alguém que chegou a um estágio mais avançado, um "plus".  Ficam com um ar mais confiante, poderoso e por conseguinte, sexy. 

Pronto, falei.
Postar um comentário