.

.

2 de dez de 2012

Discriminar é preciso

Notei um traço interessante em minha personalidade: tenho dificuldade para a ceitar a mudança do significado das palavras.   Por exemplo: acho que o termo "discriminação"  costuma ser totalmente mal empregado. Discriminar é apenas ressaltar, evidenciar, mostrar a diferença. Só. O que há de errado nisso? Nada. Minhas professoras do passado sempre passavam exercícios dizendo"Discrimine as frase correta."  Ou "discrimine o sujeito da oração". Nunca achei que eu estava fazendo algo errado rsrsrs.

Se você pretende vacinar apenas as crianças de cinco anos, elas precisam primeiro ser discriminadas  porque estão misturadas a um monte de crianças de idades variadas. No sistema de cotas é a mesma coisa: para beneficiar os negros é preciso primeiro que os discriminemos. Quem são os negros? Ésse, esse e mais esse. Tudo bem. Isso é discriminar. Simples! Por quê demonizaram a palavra?

Qual o problema de discriminar os mais pobres? Nenhum. Se você quer distribuir cestas básicas, terá que discriminá-los, destacá-los dos demais, para que só então entregar a cesta aos mais pobres. Porque se você não discriminá-los aí qualquer um vai receber a cesta, até quem for rico.


Quem discrimina não rejeita necessariamente, apenas identifica quem é quem no meio de uma generalidade de pessoas. Discriminar não tem um sentido necessariamente negativo. Claro que pode ser usado com uma conotação má, como temos feito, mas isso não faz sentido porque o português é rico e temos uma palavra muito mais expressiva para definir o que seria o "sentido mau" de discriminar: é justamente REJEITAR.

Rejeitar já diz tudo. Discriminar pode ter o sentido de escolher e elejer. Rejeitar é rejeitar mesmo, é descartar, jogar fora. Admita: para ser usado em questões de preconceito, REJEITAR é um termo muito mais claro e expressivo do que DISCRIMINAR.

Uma pessoa não pode ser REJEITADA por causa de sua cor, de sua religião ou situação financeira ou só porque é feio. Mas discriminada pode sim - e deve - dependendo da situação.


Agora tenho almo mais a dizer sobre REJEIÇÃO. Porque ninguém pode ser rejeitado?

Você rejeita uma babá se descobrir que ela é alcoólatra. Você rejeita um estudante de artes plásticas para ser seu estagiário em seu escritório de advocacia. O Estado rejeita um monte de gente todos os anos em seus concursos públicos. O atleta que não alcança a marca mínima não pode participar das olimpíadas - é rejeitado.  Eu rejeitaria uma pessoa analfabeta para trabalhar como secretária em meu escritório. Uma pessoa completamente mal vestida não pode representar uma boa empresa. Etc, etc.

REJEIÇÃO e DISCRIMINAÇÃO fazem parte da vida. A questão é saber quais as exceções, ou seja: em quais ocasiões é inaceitável rejeitar uma pessoa.

Nesse mundo não somos iguais perante nada, muito menos perante a Lei. 

Quem é réu primário é visto de uma forma e o reincidente, de outra. Quem matou com intenção é visto de forma diferente de quem matou sem intenção. Um fracote que dê um soco em alguém é analisado de forma diferente de um boxeador que desfira um único soco em alguém.  Se todos fôssemos iguais não haveria necessidade de julgamento. Bastaria um computador para analisar nossas questões.

Para haver o mínimo de ordem em nossa sociedade, discriminar é preciso. Rejeitar também.  Aliás, por falta de discriminação é que os políticos bandidos estão misturados aos honestos. Se houvesse discriminação não seria muito melhor?

DISCRIMINAÇÃO JÁ!
Postar um comentário