.

.

15 de jul de 2013

O que é romantismo?

Mesmo quando penso que sei a hora certa, não sei a hora certa. Até porque a minha hora é só minha e ninguém jamais saberá com exatidão nada sobre ela.  Já estraguei momentos que seriam maravilhosos só porque não os reconheci como "momentos certos". Achei que não eram - mas eram, justamente por isso!  Aqui a gente faz, aqui a gente paga: também já sofri pra caramba porque detectei um momento imperdível que a outra pessoa não viu, não deu a mínima.

Existe uma hora certa para ser romântico? 

Quando me imagino suada na cozinha, temperando um frango enquanto uma panela flameja, tenho dificuldade em acreditar que aquele momento seja propício a cupidos e corações. Ser subitamente abraçada e chamada a interromper tudo... Acho que eu não iria conseguir corresponder a contento.

Gosto de imaginar cenas românticas quando acabei de tomar banho e me vejo em silêncio, divagando, ouvindo música ou em um cenário bonito. Quando o vento bate fresco, quando caminho pela praia, quando tudo em mim parece apto e receptivo. Mas...  tudo isso me leva a pensar que o romantismo está justamente na cena deslocada, no momento errado e inesperado. O romantismo não seria a propria inconveniência feliz? Não estaria no arroubo, na capacidade de estar pronto para os arrulhos quando tudo parece contrário?   É aí que o amor é mais amor ou  pensar assim é puro romantismo?  

O que é ser romântico? É quando o relógio do coração está em descompasso com o relógio do mundo? Então não sou romântica porque prefiro que o momento seja propício? Ou sou extremamente romântica justamente por acreditar que existe nessa vida um tal "momento propício"?  Existem momentos perfeitos?   Romantismo é crer no que não existe...  ou crer no que poucos enxergam?

O que é romantismo?
Postar um comentário