.

.

7 de jul de 2013

O sonho da Cinderela

Essa gravura é a cara da minha infância. Eu olhava coisas assim e passava horas sonhando. Era o que se pode chamar de "tirar o pé do chão".  Eu imaginava o baile,  a valsa, a beleza da Cinderela, o sufoco pra voltar pra casa, o lindo vesdido de cauda (suspiro profundo...) o príncipe apaixonado, a cinturinha fina, as mãos delicadas (apesar do trabalho doméstico - como?!) o castelo belíssimo, os cabelos sedosos, olhos brilhantes, a noite de gala inesquecível, o salão enoooorme cheio de luzes, cristais, o deslumbramento e eu - quer dizer ela, a Cinderela, sendo o centro das atenções... Oh, oh e mais oh!

Como são as coisas... Vejam vocês como o tempo passa e como tudo muda. Acreditem os senhores que hoje deparei com essa imagem e a primeira coisa que me veio à mente foi "caramba, que praga de castelo é esse que tem que subir tanta escada?"  Um autêntico pensamento de velha.

Cruz-credo.
Postar um comentário