.

.

20 de set de 2013

Romantismo


A mesma sociedade que metralha o romantismo entre casais, acaba engolindo outras formas igualmente furadas de romantismo. 

A ideia do "bom selvagem" é uma tremenda tolice, mas ainda continua viva e gerando filhotes.

Índio bonzinho? Onde?  Aí ensinam nossas crianças que os índios vivem no mundo de Avatar, que adoram as árvores e respeitam a natureza.  Ora faça-me o favor!  São exatamente como nós: as árvores só duram enquanto não precisarem ser trocadas por outras coisas prazerosas. Dependendo da situação, a primeira coisa que fazem é entrar em acordo com os madeireiros. Não estão nem aí.

Há também o romantismo direcionado ao reino animal.  É essa tinta dourada que lambrega as mentes atuais. O raciocínio é: o ser humano é mau, os irracionais são bons e só matam o que pretendem comer. Mentira.

Tive uma gatinha cujos olhos brilhavam de prazer quando conseguia despedaçar um passarinho ou calango. Nem vou descrever aqui as técnicas de tortura que ela usava contra os pobres calangos porque não quero agredir as mentes mais sensíveis. Detalhe: a Lucrécia (o nome da gata) jamais comeu um calango sequer ou um passarinho. Não os prendia e despedaçava por fome. Nem por medo.

E as cobras? Matam muito mais do que aguentam comer. Capturam animais e quando não aguentam comer tudo de uma vez, os guardados como numa espécie de poupança. Igual a nós.

 Não tenham dúvidas: se os irracionais precisassem de dinheiro para sobreviver você os veria adotar as mesmas safadezas dos humanos. Todos os dias ia ter elefante dando trambique, cachorro vendendo mercadoria vencida, cobra assaltando, pinguins vendendo drogas, borboleta se prostituindo. Por outro lado, se nós não precisássemos de dinheiro estaríamos hoje nos matando e despedaçando uns aos outros com a mesma crueldade sangrenta das onças, aranhas, tubarões e outros bichos.

Cachorro, quando se invoca, pode atacar seus próprios donos. Já soube de vários casos. Não foram maltratados ou provocados. "Tipo do nada".

Pare de chamar os bichinhos de santos e humanos de monstros. Só o que nos eleva é o amor. Tirou isso, o que sobra é SELVA!
Postar um comentário