.

.

6 de mar de 2014

Empatia



Tudo, até a virtude, precisa ser bem dosada.

A capacidade de nos imaginarmos no lugar do outro é uma grande qualidade. Só que a gente começa a sentir a dor dos outros - até aí tudo bem! - mas o troço pode evoluir. 

O segundo passo é quando passamos a atribuir sentimentos humanos aos animais. Conheço um monte de gente assim, motivo pelo qual não me atreverei a classificar como loucura. Vamos atacar de "borderline".

Abro agora um parêntesis para a amenizar a "saia justa" na qual me meti. Subo no púlpito imaginário e afirmo solenemente que também me enquadro em outras situações que cheiram, igualmente, a patologia. Formamos uma irmandade, queridos! Não me coloco acima de ninguém.

Voltemos: o maior problema mesmo é o terceiro nível.

O terceiro nível pode ser paralisante. Esse estágio se configura quando começamos a projetar sentimentos, alegrias e dores em seres inanimados. É aí que entra a salsicha (da foto).

Faça o teste. Se você marcar um X em mais de 2 casos, procure um psicólogo o mais rápido possível.

1) Você fica sinceramente angustiado quando flagra alguém fazendo "maldades" com seus ursinhos.

2) Você não aguenta que dêem socos em seu travesseiro. Tem a nítida impressão de que ele está sofrendo. Também não quer substituí-lo porque parece-lhe que ele se sentirá rejeitado.

3) Acha que uma roupa fica magoada quando você passa muito tempo sem usá-la;

4) Sente que está "assassinando" uma fruta sempre que a corta;

5) Não ingere nada com molho vermelho porque parece sangue.

6) Toda vez que come um ovo lhe vem à mente que está mandando um pintinho para o céu.

7)  Você atribui personalidade a tudo o que tenha uma carinha (borracha na ponta do lápis, carinha alegre em camiseta etc). Reluta em  comer coisas com carinha (biscoitos, bolos, chocolates...)

8) Você não só reluta em comer: você realmente não come. (obs: essa questão vale 5 pontos)

9) Você tem pena de jogar fora um eletrodoméstico velho que lhe prestou tantos serviços durante a juventude. É como se você desse um pé na bunda de uma empregada doméstica e a deixasse ao relento e sem assistência só porque ela ficou velha. Então você prefere guardar no armário o "bom e velho amigo" que morou a vida toda com você. Visita-o regularmente no armário e quase pede desculpas por usar o novo liquidificador (por exemplo).

10) A imagem que ilustra esta postagem lhe impressionou deveras. Você encontrará dificuldades, de hoje em diante, em comer salsichas. Na verdade já tinha essa dificuldade, só que por "outro tipo" de associação mental.

11) Acha que seu órgão sexual tem sentimento e vida própria, inclusive se governa. Frequentemente você se flagra conversando com ele tentando explicar certas situações e o por quê de algumas impossibilidades. Em alguns contextos você tem certeza de que ele está revoltado e lhe odeia. (Essa questão vale 4 pontos).

Se você não quer que ninguém descubra o resultado do seu teste, seu caso é grave.

Postar um comentário