.

.

17 de out de 2015

Mal escrito

Muito desconfortável quando me vejo diante de um texto meu que tenha sido mal escrito. Pra quase tudo existe perdão nessa vida: debates manjados, questionamentos  esgotados, pieguice,  declarações desinteressantes , rimas pobres e equívocos gerais. Tá,  acontece.  Mas um texto mal escrito dói diferente.
Não me refiro exatamente a erros de português,  problemas com concordância ou cedilhas atravessados. Refiro-me a idéias mal expostas, parágrafos desconexos, comparações impróprias,  divagações cansativas. Quase sempre releio várias vezes meus textos antes de publica-lo. Quando algo assim me escapa fico com a impressão de que fiz a coisa certa mas o texto entortou depois, como um bolo que murcha no forno depois que a cozinheira abre sua porta para checar seu o progresso. Ela fecha a portinhola do forno e o bicho entorta em seguida por conta própria.  Sim, se acontece com bolos por que não crer que aconteça com textos?
Esse texto aqui não passa de uma coisa dispensável. Sem graça sim, mas não exatamente "mal escrito". Ele veio à luz só para que vocês saibam que tenho auto crítica e as vezes até fico cabisbaixa.
Por algum motivo acordei acreditando que vocês precisavam saber disso. Obrigada e até a próxima.
Postar um comentário