.

.

29 de nov de 2015

Moça

Não chore, moça bonita, que chorar não é esquecer. Chorar é congelar num ponto e deixar frio tudo o mais.

Chorar é olhar só para um lado. É pender, é mancar. Não esqueça da maciez da tua pele, dos teus cabelos cheirosos. Não esqueça do jasmim, do doce de leite, do leito de amor. Permita-se olhar a lua, ou o sol, ou as copas das árvores. Levante o queixo e procure qualquer passarinho que te distraia. Não contorças teu rosto, não estragues a obra de Deus.

Não chore, moça bonita, pois o mundo quer te ver passar, quer flertar contigo para se sentir importante. Cada passante espera ser salvo por um pouco de tua atenção e quer continuar considerando que ainda são possíveis visões assim, no meio do caos. Você é uma benção pra quem passa assim como uma flor qualquer, que não sabemos o nome mas ainda assim existe.

Uma flor não salva o mundo, mas pode salvar um coração.

Um dia envelhecerás mas tua beleza de hoje será um alento para a nossa memória. Tua imagem será resgatada em meio a muitas lembranças tristes, como uma linda foto perdida dentro do jornal. Não chore porque muitos ainda te amarão e crianças te beijarão o rosto com hálito de caramelo e vais rir demais, e amarás ser tia antes e depois de ser mãe.

Não chores, porque muitos precisam crer que ainda podem beijar tua boca.

Sem sonhos a vida é nada. E nada é. A vida não é mais que um sonho pesado adoçado pelas flores. Não chore, moça, porque a vida precisa ser bela e os anjos não estão mais entre nós.
Postar um comentário