.

.

26 de nov de 2015

O que vale pela vida inteira

Vamos combinar uma coisa: "a vida inteira" é tempo pra caramba. "A vida inteira" se arrasta enquanto você envelhece, adoece e repensa seu passado.  "A vida inteira" dura três vezes mais quando você fez muita burrada.

Não há nada mais furado do que essas frases bonitinhas que dizem que determinada situação pode ser tão boa mas tão boa a ponto de valer a vida inteira.  Vou logo te adiantando: não vale. Nada vale, nem a maior paixão do mundo. A gente assiste esses filmes onde os protagonistas vivem aventuras incríveis, arriscam tudo, perdem tudo e terminam a película cobertos de glórias. Só que o filme acaba mas a vida prossegue. As glórias enferrujam e o que sobra é a solidão, as perdas irreparáveis e a necessidade imensa de justificar tudo aquilo.

Esse é o tipo de frase que as pessoas que já fizeram merda demais pela vida tem que viver repetindo para si mesmas: "há momentos que valem a vida inteira". Elas precisam dar um jeito de se convencer de que valeu a pena pagar vinte anos por todo aquele êxtase inconsequente.

Não consigo imaginar situação alguma que, uma vez vivida, apague o marasmo de uma longa vida sem sentido e sem graça.  Nenhum momento específico tem uma área de cobertura tão grande.  Parir um filho foi, para mim, a maior emoção da vida. Momento incrível!  Mas se o bebê tivesse morrido ou sido sequestrado, aquele momento lindo não pagaria a vida toda de tristeza. Eu não conseguiria me alimentar ou me consolar muito tempo com aquela glória distante. E por aí vai.

Também não imagino qual aventura poderia me custar muito, muito caro mas ter sido tão excitante a ponto de ter "valido a pena".  Se custou muito caro, é sinal de que não valeu.  Perder uma perna, por exemplo. Uma perna vale mais do que o melhor momento de aventura do mundo.

"Valer a pena" , segundo a idéia corrente, é quando a pessoa perde amigos ou perde a saúde ou perde o grande amor da vida ou perde o respeito dos filhos ou perde um empregão... e ainda assim continua no lucro.  Isso não existe. O que existe é alguém que não suporta a dor das suas próprias tontices e precisa acreditar que no final não perdeu nada porque "ganhou aquele momento mágico".

Deveríamos pesquisar a procedência de certas frases. Muitas são fantasiadas de sabedoria mas se levantamos suas saias só o que vemos é sua nudez cabeluda e constrangedora. Dependendo de quem proferiu e em que circunstância, essas "frases de Face" devem ser olhadas com desdém e deixadas para os trouxas.

Não balize sua vida com frases bonitas ou frases "valentes". Geralmente elas escondem arrependimentos colossais.

Postar um comentário