.

.

31 de dez de 2015

Acabou? Tem certeza?

Acabou o quê? O ano? Acabou coisa nenhuma!

Meta na cabeça uma coisa: tudo o que você aprontou em 2015 ainda vai render filhotes em 2016.  Cada ano que  passa deixa sobras, retalhos e rebarbas. A coisa só vai acumulando.

As mancadas que você cometeu em 2015 serão lembradas para sempre por seus amigos e inimigos. Eles tem uma memória de elefante,  embora vivam esquecendo do dia do seu aniversário.

Sabe outra coisa que não acabou? As dívidas. Elas também ficam juntamente com os quilos a mais, a celulite, seu gênio indomável e a saudade dos que se foram. O vizinho chato renovou o contrato de aluguel: ele também fica.  As rugas também não se despedem de você no ano que se vai. Elas também dão filhotes. Aguarde.

Ah: os amigos, mas amigos meeeesmo, eles também ficam. Graças a Deus. E os que se afastaram... Na verdade nunca estiveram com você.

Essa coisa de passagem do tempo me faz refletir.  Por quê na segunda feira a gente fica torcendo para terminar logo a semana? Depois, a cada dia 15 a gente torce para acabar logo o mês. Concomitantemente também conseguimos torcer para não ficarmos logo velhos.  Faz sentido isso? Não faz.  É como torcer para os dois times ao mesmo tempo.

Anote: esse pendor para a incoerência também vai te acompanhar em 2016. Você vai continuar torcendo para chegar sexta feira, torcendo para acabar o mês, torcendo para a vida ser longa e torcendo para a velhice se atrasar.  

Nada acabou. Nem as obrigações acabaram. Nem a alegria ou a esperança. Não há porque torcer para que um ano se vá. Não há porque ficar melancólico nem alegre  pelo que se foi.

Sabe, o Ano Novo é um apartamento para onde a gente se muda mas leva junto todos os cacarecos do endereço antigo. Até as baratas vão junto. Por isso fique frio e não gaste muito dinheiro com fogos.  Ou gaste. Bom da vida é poder fazer as tolices que nos dão alegria.

Postar um comentário