.

.

15 de abr de 2016

Auto traição

Se até eu mesma me traio, o que esperar do resto da raça humana?

Esses dias chamei a atenção de uma amiga. Ela estava reincidindo numa atitude que eu não achava legal então resolvi conversar em particular.  Mas errei. Não por ter tentado conversar, mas por não ter percebido sua incapacidade emocional de lidar com aquele tipo de diálogo.

Sabe o fruto da árvore proibida? Você poderia comer todas as frutas do jardim menos o fruto daquela árvore que estava no meio do jardim. Pois é: você pode criticar todos os tipos de defeitos de uma pessoa menos um: se o defeito for justamente o de não  suportar ser criticado. Porque se criticar isso, o errado é você, que sabia da incapacidade e ainda assim abriu o bico.  Esse tipo de crítica só vai terminar bem se você estiver errado e a pessoa for madura e souber dialogar. Se você estiver certo o stress está garantido.

Ora, se você sabia que a pessoa se sente profundamente agredida quando é questionada, o que estava esperando receber de troco quando questionou? Esperava que ela concordasse? Que dialogasse? Que refletisse? Que se enxergasse? Se a incapacidade dela é justamente nessa área!

Se você está certo, errou em abrir a boca. Porque para alguém assim um toque é sempre como um soco no estômago e uma advertência é sempre recebida como um tribunal de humilhação. Ela vive em carne viva e você não tinha nada que encostar.
Postar um comentário